Vamos brincar às costuras!

Recentemente tive que efectuar uma apresentação sobre um tema ligado a um hobby/outra actividade, fora da área profissional, isto no âmbito da primeira simulação para formação de formadores na Certform.

Achei que seria a minha oportunidade de demonstrar “a positividade” de costurar e os respectivos benefícios da actividade nas crianças e mesmo nos adultos.

De facto não teria muito tempo para efectuar demonstrações, mas o principal objectivo era cativar a “audiência”, que agradeço desde já  a participação e cativação pela parte de todos!! Muito obrigada!!

Fica lançado o desafio… 🙂

Foi um bom dia!

Diapositivo1

 

 

Mãe

 

Não aprendi a costurar com a minha mãe… mas cresci entre “farrapos”.  Com a minha avó aprendi as “luzes” do crochet.

Coincidência, descobri verdadeiramente a costura com a maternidade!

Desejo a todas muitos dias felizes de mãe, “no mínimo” todos os dias de muitos anos e um poema de José Jorge Letria:

“Quando eu for pequeno, mãe,
quero ouvir de novo a tua voz
na campânula de som dos meus dias
inquietos, apressados, fustigados pelo medo.
Subirás comigo as ruas íngremes
com a certeza dócil de que só o empedrado
e o cansaço da subida
me entregarão ao sossego do sono.

Quando eu for pequeno, mãe,
os teus olhos voltarão a ver
nem que seja o fio do destino
desenhado por uma estrela cadente
no cetim azul das tardes
sobre a baía dos veleiros imaginados.

Quando eu for pequeno, mãe,
nenhum de nós falará da morte,
a não ser para confirmarmos
que ela só vem quando a chamamos
e que os animais fazem um círculo
para sabermos de antemão que vai chegar.

Quando eu for pequeno, mãe,
trarei as papoilas e os búzios
para a tua mesa de tricotar encontros,
e então ficaremos debaixo de um alpendre
a ouvir uma banda a tocar
enquanto o pai ao longe nos acena,
lenço branco na mão com as iniciais bordadas,
anunciando que vai voltar porque eu sou
[pequeno
e a orfandade até nos olhos deixa marcas. ”

José Jorge Letria, in “O Livro Branco da Melancolia”

 

_MG_8925

Foto: Telmo Ferreira

 

 

 

Escritório? Sala de costura?…

Por vezes gostaria de ter um espaço todo “catita”: Bastante branco e “clean”, arrumado, grande, com tecido arrumados…mas será que é possível??

Adoro ver blogs e assumo que acho de alguma forma “sarcástico” algumas imagens de salas de costuras que vejo em alguns blogs. Eu acho que devem ter dois espaços… 😉 um para fotos e outro para trabalhar…

Tentativas não faltam! Caixa para tecidos de algodão, frascos para botões, estantes para livros, …

Para além disso, tenho uns “ajudantes especiais”… Apesar da confusão saldo é muito positivo! A “terapia da costura” resulta! 🙂

10462372_487909648033465_2330743259666313144_n

10882009_498085340340136_1302229571_n

 

Crescer…

Crescemos, mas de facto todos nós deveriamos “ficar” um pouco mais criança…

“Depus a máscara e vi-me ao espelho. —
Era a criança de há quantos anos.
Não tinha mudado nada…
É essa a vantagem de saber tirar a máscara.
É-se sempre a criança,
O passado que foi
A criança.
Depus a máscara, e tornei a pô-la.
Assim é melhor,
Assim sem a máscara.
E volto à personalidade como a um términus de linha. ”

Álvaro de Campos, in “Poemas”
Heterónimo de Fernando Pessoa

IMG_4762

IMG_4763

 

Fotos e “Queriduxa”: Gilda Sousa

Um desafio lançado:um gorro para um cão

Hoje lançaram-me um desafio: fazer um gorro para uma cadela. Eu pensei e respondi à I.: “Coitadinha, os animais não gostam nada de casacos e outros acessórios.” Bem a I. respondeu de imediato ( e com um sorriso contínuo) : ” A minha cadela tem muito frio.”

Eu afirmei, “OK. Mas necessito de medidas” E assim ficou combinado!!

Imaginação não falta à I., ou não fosse a responsável pelo projecto fantástico dos “Monstros de Companhia”!!

Vamos tentar!

Aqui deixo uma foto de um exemplo possível a seguir que vi no blog “Um jeito manso” 🙂

creative-knit-hat-161__880

Uma verdadeira maratona de tecidos!

Este Verão foi verdadeiramente e “positivamente” cansativo!

Tive a oportunidade de conhecer novas pessoas (colegas e clientes), trocar conhecimentos e experiências (como por exemplo uma senhora da Nova Zelândia que adorava feltragem!), de clientes colocarem o nome “Gilda” ou “Guilda” às Matrafonas ou até de meninos a chorarem porque queriam um chapéu com carros ou eu própria a imitar o Pinguim Gorduncho,..etc…

De facto, foi, é e será um balanço fantástico! Obrigada a todos!!

IMG_3975

Foto:Gilda Sousa

Softies/bonecos de Gilda Sousa-Hand made by me

Localização: Oporto Craft Market

A crescer…

Um hobby transformou-se num produto/serviço. Apesar da minha formação base e experiência profissional estar muito longe da área da costura criativa, “lanço-me” num novo projecto em que me transformo-me numa “Olívia Costureira e Olívia Patroa”. Obrigada pelas ideias e apoio de todos os meus amigos e família e cá vamos!!

Estaremos presentes em vários mercados, na internet e como sempre aceitamos novos ideias e projectos dos nossos queridos clientes ou melhor dos nossos clientes mais pequeninos!!

000491

Quadro de inspiração/ Inspiration board

Recentemente, tive de fazer um quadro de inspiração, para o módulo de Acessórios de moda (curso em Artes Têxteis). A minha reacção imediata foi: “O que vou fazer? Nunca na minha vida fiz tal coisa!”. Depois de “respirar fundo”  e das tendências/temáticas dadas pela formadora, lá tentei entrar no desconhecido “mundo das tendências da moda”.

Um dos factos, é que percebi que “estas das coisas das tendências na moda” são estudadas com inumeras variáveis”: contextos social, económico, histórico, político, etc, e que existem vários consultores pelo mundo.

Eu escolhi “uma variante”, mais reciclável e bucólica. Depois de uma pesquisa em vários blogs e revistas (desculpem caso não coloquei as fontes da informação) aqui deixo o meu primeiro, pequeno e modesto exercício para a disciplina.

O que acham?

quadro de inspirações

quadro de inspirações2